54

Características dos filhos dos Orixás

Hoje trago a vocês um artigo que fala sobre um assunto muito interessante: as características dos filhos de cada Orixá. É legal entendermos que apresentamos características pessoais e influências relacionadas ao nosso Pai ou Mãe Orixá, mas que na maioria das vezes expressamos essas características de forma contrária e negativa, fato que reflete nosso desequilíbrio emocional e espiritual. Um exemplo disso poderia ser uma filha de Iemanjá  que não pretende ou não gosta da ideia de ter filhos. Este “não querer” mostra o desequilíbrio desta pessoa pois vai totalmente contra as características esperadas para uma filha que Iemanjá, que é a Orixá que representa a geração e os laços familiares.  Reconhecer esse nosso desequilíbrio é o primeiro passo para conquistar uma vida harmoniosa, tanto em nosso dia a dia, como dentro de nossa estrutura religiosa, a Umbanda, que tem  os Orixás como Força Sustentadora e Divindades Sagradas.

Características dos Filhos de Oxalá:
Mercê da própria presença soberana do Orixá Maior da Umbanda, os Filhos de Oxalá também marcam naturalmente suas próprias presenças. Destacam-se com facilidade em qualquer ambiente, são cuidadosos e generosos, e, dada sua exigência no sentido de conseguir sempre a perfeição, são também detalhistas ao extremo. Curiosos, procuram saber detalhes, às vezes, chegando mesmo a tornarem-se aborrecidos por isso. Pais excelentes. Mães amorosas. Dedicam-se com um carinho excepcional às crianças, com quem se relacionam muito naturalmente e de quem não gostam de afastar-se. Relacionam-se com facilidade com filhos de outros Orixás, todavia, têm sempre certa prevenção em relação às pessoas a quem não conhecem muito bem. São um tanto inconstantes e se amuam ou se zangam com grande facilidade. Impõem sua opinião até os extremos e não raramente por causa dessa característica se desentendem com filhos de Ogum, Inhançã e Xangô, principalmente. São, também, pessoas de grande capacidade de mando, tornando-se, não raras vezes, líderes em suas comunidades. Por outro lado, são também ensimesmados, tendo alguma dificuldade em expor problemas e/ou desabafar com estranhos e, às vezes, até mesmo com pessoas íntimas. A velhice tende a tornar os Filhos de Oxalá irritados e rabugentos. Por paradoxal que pareça, a vaidade masculina encontra em seu mais alto ponto nos Filhos de Oxalá, sempre preocupados em ostentar boa aparência e em serem agradáveis. As Filhas de Oxalá são boas mães e esposas, embora, às vezes, se mostrem um pouco dominadoras e ciumentas. Também gostam de apresentar-se bem, embora discretamente.

Características dos Filhos de Inhaçã:
Nascidos da Luz da Manhã, os Filhos de Inhaçã são a própria majestade do Orixá. Sua principal característica exterior é ser sempre uma entidade dominante. Ocupam naturalmente posição de destaque e nunca passam desapercebidos. Gostam de vestir-se sempre na moda e de estarem sempre atualizados, embora haja sempre uma pitada de exagero em quase tudo o que fazem. Têm personalidade marcante, que dificilmente é esquecida. Brilham em quase tudo o que fazem. São temperamentais por excelência, mudam de opinião com facilidade, amando ou desprezando objetos e pessoas ou, ainda, coisas, absolutamente sem motivos aparente. São inconstantes e sentimentais, arrependendo-se com facilidade por atos praticados, mas, também, esquecendo-os e, não raras vezes, repetindo-os. O Filho de Inhaçã herda do Orixá suas características Guerreiras, empenha-se em discussões estéreis, às vezes, só pelo prazer de contestar, não se preocupando absolutamente com os resultados finais. Todavia, quase em tudo o que toca consegue levar a bom termo. É também muito dedicado e prestimoso e além de tudo, alegre.
As Filhas de Inhaçã são sempre extremadas: ou amam apaixonadamente ou simplesmente esquecem. Incapazes de odiar, não hesitam em se reaproximar de alguém que lhes tenha magoado, sentindo, não raras vezes, uma real piedade e amor por essa mesma pessoa se, por qualquer razão, estiver em posição de dor ou inferioridade. Não raras vezes, também, assumem as causas alheias, trazem parentes enfermos para dentro das próprias casas, depois, brigam com maridos e filhos por causa desses parentes, posteriormente, invertem toda a situação, mandando embora quem haviam trazido e buscando a paz familiar, como se nada tivesse acontecido. Fazendo tudo em escala maior, amam com intensidade, dão-se com facilidade, produzem ou promovem e depois, pura e simplesmente, esquecem. Quer seja homem ou mulher, o Filho de Inhaçã será sempre alguém que dificilmente consegue passar desapercebido. Será sempre um temporal num copo d’água, passando da tranqüilidade de um lago sereno a incerteza de um mar tempestuoso. Sua principal característica positiva reside na sua capacidade de não apenas perdoar quem eventualmente lhe haja ofendido, como principalmente, esquecer a ofensa. Talvez nenhum outro consiga realmente esquecer o Filho de Inhaçã. Quando lideres em alguma atividade, quase sempre marcam, de maneira indelével, suas administrações, mesmo que isso lhes custe sacrifícios. As Filhas de Inhaçã são extremadas como as chamadas “super mães”. Lutam pela felicidade e progresso de seus filhos e não admitem erros ou faltas, embora, quase nunca tenham coragem de punir as crianças. Como pessoas são exageradamente ciumentas, às vezes, chegando a infernizar a vida de seus companheiros por causa do ciúme.

Características dos Filhos de Cosme e Damião (Erês):
Alegria, sem sombra de dúvidas, é a principal característica dos Filhos de Cosme e Damião. Mesmo em circunstâncias difíceis parecem irradiar sempre alegria. São simples, generosos, altruístas, embora um tanto inconstantes, sinceros e justos. Têm grande apego à família e aos amigos, não raramente fazendo grandes sacrifícios para beneficiar os outros. Gostam de participar e dividir tudo o que têm e contentam-se com pouco. Não admitem não ser considerados e magoam-se quando acham que não foram tratados com a devida consideração, embora não guardem rancor. Exigem um pouco de mimo, de atenção, em quase tudo o que fazem. Adoram ver seu trabalho reconhecido e admirado. Os Filhos de Cosme e Damião são bons pais e maridos. Amantes do lar, são, ainda, calmos e tranqüilos. As Filhas de Cosme e Damião são excelentes esposas e mães, embora, geralmente, muito dependentes. Costumam estabelecer laços familiares muito fortes. Não raramente, mesmo com idade avançada, não tomam quase nenhuma atitude sem consultar seus pais e outros parentes ascendentes.

Características dos Filhos de Iemanjá:
Iemanjá e Oxum se confundem com o Espírito Criador e muitas de suas características também se confundem. Representam a própria instituição da família, seus laços, suas dependências. O Filho de Iemanjá é empreendedor, ativo, um pouco sovina. Sonha com grandes progressos, embora, às vezes, de forma ingênua, não tenha idéia de proporção, exagerado em suas aspirações. Raramente toma atitudes agressivas, excetuando-se, naturalmente, no plano familiar. De temperamento dócil, sereno, pode também agitar-se por qualquer motivo. Dificilmente consegue esquecer uma ofensa recebida e custa muito a depositar novamente confiança em que haja lhe ferido ou magoado. A mulher que é Filha de Iemanjá tem no marido e filhos seu principal objetivo. Costuma ser muito exigente com os filhos, mas perdoa todas as suas faltas, não raramente, escondendo-as, para que as crianças não sejam punidas por mestres ou pais. Como uma fera, briga com quem quer que se interponha entre os filhos e o lar. Também costuma ser desconfiada e não raro inferniza a vida do companheiro com ciúmes doentios. Se necessário, ombreia-se com o marido para fazer frente às dificuldades da vida, dando tudo de si. Nunca deixa de fazer o que lhe pedem, embora tenha uma grande tendência a reclamar de tudo. É empreendedora e ativa, vaidosa e coquete, gosta de adornos discretos e caros. Exige muitas atenções e geralmente, embora realize com perfeição os deveres domésticos, parece não sentir grandes atrações para com a cozinha, a não ser no que diz respeito aos filhos. O Filho de Iemanjá parece estar sempre lutando para galgar um lugar de destaque, qualquer que seja o empreendimento a que se dedique. É, por sua própria natureza, um lutador. Os Filhos de Iemanjá são profundamente emotivos, razão pela qual são chamados de chorões.

Características dos Filhos de Oxum:
Quase tudo o que foi dito sobre Iemanjá pode ser estendido a Oxum, cujo relacionamento com seus filhos se equivale por representarem ambas o Princípio Criador. Também é aplicada aos Filhos de Oxum, ainda mais emotivos que os de Iemanjá, a denominação de chorões. A sensibilidade dos Filhos de Oxum é ainda maior e, não raras vezes, chamados, principalmente as mulheres, de dengosas e flores de estufa, que fenecem ao menor motivo. Na verdade, os Filhos de Oxum, essencialmente honestos e dedicados, esperam sempre merecer as atenções que procuram despertar e sentem-se desprestigiadas quando não acontece. Um fato a ser considerado é o de que os Filhos de Oxum tendem a guardar por mais tempo alguma coisa que lhes tenha atingido e olham com muita desconfiança quem os traiu uma vez. Por outro lado, menos vaidoso do que os Filhos de Iemanjá ou Inhaçã, aparentam, mesmo em roupas discretas, uma certa realeza. Ternos e carinhosos, são conseqüentes e seguros e buscam sempre a companhia de pessoas de caráter. Preferem não impor suas opiniões, mas detestam ser contrariados. Custam muito a se irritar, mas quando o fazem, também custam a serenar. Oxum parece ocupar no coração das pessoas o espaço destinado à figura da mãe e esta característica faz com que seus filhos sejam naturalmente bem quistos e, não raras vezes, invejados. O homem e mulher, Filhos de Oxum, são, a exemplo de Iemanjá, muito ligados ao lar e a família, em geral.

Características dos Filhos de Oxosse:
Oxosse representa a pureza das matas. Seus Filhos são honestos, desinteressados, altruístas e espontâneos. A sua principal característica é a honestidade porque nunca esperam recompensa por aquilo que fazem espontaneamente. Têm um grande inconveniente: são inconstantes, não persistentes, seja qual for o motivo. Com muita freqüência, após lutarem por um ideal, às vezes, às vésperas de consegui-lo desistem e partem para nova idéia. Geralmente, os Filhos de Oxosse reúnem qualidades que são muito importantes. Se alguém está doente, ele é aquele que vai várias vezes visitar a pessoa, ver como está passando, se interessa pelo bem-estar dos outros. Não se aborrecem com as reclamações e ouvem lamúrias dos outros sempre com muita atenção. Dão-se muito bem com qualquer faixa de idade. Sentem-se mais à vontade em ambientes descontraídos. Não gostam de andar muito presos em roupas sociais. Não se sentem bem em cerimônias muito formais. São dados a vida muito singela. Não são dados ao luxo; tem verdadeira ojeriza a tudo o que chama a atenção. Adoram andar, gostam do ar livre, não gostam de ficar em ambientes fechados ou escuros. São muito complacentes com a aquisição de bens materiais, sendo desligados de tudo aquilo que se refira a luxo. O Filho de Oxosse costuma mudar de atividade com relativa facilidade, mas na possibilidade de lançar raízes em algum campo de negócio, são profundos e seguros, jamais mudam. O chefe de família, Filho de Oxosse, é um tanto desligado do lar, não que ele não se interesse pelos problemas familiares, é que prefere ser servido a servir. A mulher, Filha de Oxosse, tende a não ser muito boa dona de casa. Gosta das coisas bem feitas, mas não de fazer, gosta das coisas em ordem, mas prefere mandar que os outros façam.

Características dos Filhos de Ogum:
Os Filhos de Ogum são tidos como brigões, mas é errôneo este pensamento. São mais intransigentes e obstinados do que propriamente brigões. Ogum representa o Espírito da Lei e seus Filhos têm esta característica bem predominante. Raramente pondera as coisas: se o regulamento é este, então, tem que ser seguido a qualquer custo. Toda Lei tem que ser estudada, para obter-se o seu verdadeiro sentido, para saber o seu espírito. Porém, para o Filho de Ogum, ele é usada com parcimônia. Ele segue a Lei sem ligar se ela serve para este ou aquele caso. É a Lei, tem que cumprir, implacavelmente. O pai de família, Filho de Ogum, não dá muitas chances de diálogo para seus filhos. É inflexível e radical. Usa uma lei para si e outra para os outros. É vaidoso, não gosta de ser contrariado em suas opiniões. Raramente “arreda pé” de sua posição, mesmo quando não dá certo. Quer sempre fazer prevalecer o seu ponto de vista. Não recua nenhuma vez em suas decisões. Tem sempre tendências para resolver as coisas para o seu lado, de qualquer forma. A mulher, Filha de Ogum é mais querelante do que briguenta. É mais belicosa e de atitudes extremadas. É excelente mãe de família, porém, coitado do filho que não andar direito: ela é do tipo que bate primeiro para depois perguntar onde foi o erro. O Filho de Ogum é dado a fazer conquistas, tem facilidade de relacionamento com o sexo oposto de qualquer filiação de Orixá.

Características dos Filhos de Xangô:
O Filho de Xangô é, por excelência, calmo e muito ponderado. Costuma pesar os fatos com muito cuidado, procurando sempre pôr panos quentes em qualquer disputa. Só toma decisões depois de pesar e analisar todos os ângulos dos problemas apresentados, procurando ser o mais justo possível. Dedica-se de corpo e alma a tudo o que se propõe a fazer, mas desilude-se com muita facilidade também. É sonhador por excelência, acha sempre que tudo dará certo, deixando-se levar, com muita freqüência, pela ilusão e pelo sonho. Sempre procura apresentar seus propósitos e planos de maneira mais bonita, mais enfeitada, o mais claro possível, sem observar o que há de viável neles. Nunca procura ver se há realismo no que se propõe a fazer. Os Filhos de Xangô são capazes, geralmente, de grandes sacrifícios, mas aborrecem-se profundamente se algo que programaram não dá certo. Não admitem mudanças de programação, não só quando dependem deles a realização do plano programado. Costumam ficar roendo muito o que lhes acontece, ou o que não se realizou com queriam. Separam, com muita freqüência, a realidade de si, levando seus pensamentos para altas esferas. Por serem muito honestos, magoam-se com muita facilidade pela ingratidão das pessoas, achando que todo o mundo tem obrigação de ser honesto e preciso em suas decisões. A Filha de Xangô, geralmente, é muito crédula, acredita em tudo o que lhe dizem. Magoa-se profundamente por coisas que não tenha feito ou que tenham dito que ela fez. Guarda mágoas profundas, mas não consegue guardar raiva. Em relação ao lar, não gostam de sair de casa, preferem o aconchego do lar e são excelentes mães de família, mantendo o lar em perfeita harmonia, não permitindo desavenças entre os familiares, dando possibilidades a todos de se defenderem, sempre que for necessário.

Características dos Filhos de Nanã:
Nanã é um Orixá velho. O mais velho dos Orixás femininos, talvez por isso seja, também, o mais amoroso e o mais egoísta. Os Filhos de Nanã são muito possessivos e tendem a cercear seus amigos. São exclusivistas e não admitem dividir suas idéias. Dedicam-se sem reservas a seus amigos e parentes, porém, procuram sempre criar barreiras para evitar que os mesmos encontrem novas amizades e novos caminhos. São rabugentos e costumam guardar em seu íntimo tudo aquilo que lhe fazem. O Filho de Nanã jamais esquece o que lhe fazem, mesmo que depois lhe peçam desculpas. Sempre comenta e toca no assunto quando há oportunidade. Gosta de estar rodeado de amigos, porém, não abre mão de sua presença, fazendo questão de que ela seja notada e comentada. Veste-se muito bem e possui um pouco da intransigência de Ogum. Os Filhos de Nanã são resmungões e acham dificuldade em tudo o que precisam fazer. Esperam sempre que os outros façam ou resolvam seus problemas. São muito ladinos, sempre acham uma forma dos outros fazerem suas coisas. Por serem demasiadamente possessivos, não admitem que seus filhos ou familiares mais próximos tomem decisões sozinhos ou que seus companheiros saiam sós.

Características dos Filhos de Abaluaiê:
Os Filhos de Abaluaiê são muito introvertidos, seu caráter, às vezes, são taciturnos, calados, fechados em si próprio; ás vezes, tem piques de alegria, descontração, satisfação, indo de um pólo a outro, com muita facilidade e com muita freqüência.Os Filhos de Abaluaiê gostam de ocultismo, têm certa tendência para tudo o que é misterioso. Gostam e frequentemente estudam a vida dos astros. Gostam das artes e das pesquisas, dedicando-se muito a isso. Convivem melhor com pessoas idosas do que com as mais jovens. Não têm a paciência necessária para suportar arroubos da mocidade. Mesmo os Filhos de Abaluaiê com menos idade sempre procuram pessoas mais velhas para conviver. Não gostam de aglomerações, preferem isolamento, utilizando seu tempo em coisas que consideram de maior utilidade. Raramente se abrem a respeito de seus problemas, preferindo “curtir” a mágoa ou a dor sem participar a ninguém. Muito sentimentais e profundamente negativistas.

Nota Explicativa: Os Filhos de Fé não recebem influência de apenas um ou dois Orixás. Da mesma forma que nós não ficamos presos à educação e orientação de um Pai ou Mãe Espiritual, também não ficamos sob a tutela de nosso Orixá de Frente ou Juntó. Frequentemente recebemos influências de outros Orixás (como se fossem professores, avós, tios, amigos mais chegados na nossa vida material). O fato de recebermos essas influências não quer dizer que somos filhos ou afilhados desses Orixás. Trata-se apenas de uma afinidade espiritual. Uma pessoa, às vezes, não se dá melhor com uma tia do que com a mãe? Assim também é com os Orixás, podemos ser Filhos de Ogum ou Inhaçã e recebermos mais influência de Oxosse e Oxum. Posso ser Filho de Obaluaiê e não gostar de trabalhar com Entidades que mais dizem respeito, preferindo trabalhar com Entidades das cachoeiras, o que, de forma alguma me faz ser adotado por estes outros Orixás. O importante é que nos momentos mais decisivos de nossas vidas, suas influências benéficas se fazem presentes. Quase sempre uma soma de valores e não apenas, e individualmente, a característica de um único Orixá.

Texto extraído da apostila do curso “Formação Sacerdotal de Umbanda – 25º Barco”,
ministrado pelo Babalaô Ronaldo Linares, Babá Dirce Paudette Fogo, Babá Tânia
Maria Simões e Babalaô Eurides Silva Costa através da Federação Umbandista
do Grande ABC.

Espero que gostem e aproveitem bastante. Bons estudos!

Muito Axé e uma  semana de muitas realizações a todos!

  1. MARIO CRUZ disse:

    Mãe Mônica

    É sempre bom abrir seu Blog e ler textos fundamentais, que traz a raiz do conhecimento Umbandista. Mãe lí este artigo e não consigo individualizar qual seria meu ou minha Orixa, parece que tenho um pouco da característica de cada um.

    Obrigado

  2. Calos Eduardo disse:

    Olá,

    Que riqueza de informações peculiares dos Filhos dos Orixás. São tantas, que é preciso ler, reler, para absorver detalhes e particularidades que se entrelaçam, compondo multiplas personalidades; caracterizando nossa formação intelectual, moral e pessoal, com precisão Divina.
    Estes estudos estão abrindo minha mente de tal forma, que o fato de estar na assistência, começo a observar a imagem de cada Orixá de forma mais carinhosa, respeitando ainda mais suas Divinas atribuições.
    Que diferença em estar e/ou participar ativamente nessa constante e gratificante forma de Ser Umbandista.

    Obrigado Mãe!

    Axé a todos…

  3. Edna disse:

    Prezada Mãe Mônica

    Agradeço a sua valiosa contribuição na difusão da nossa querida umbanda.
    Uso muito os seus textos (é claro, colocando os devidos créditos) difundindo a nossa querida umbanda, tanto para os médiuns de nosso terreiro, com também aos consulentes que nos pedem ajuda.
    Muito obrigada!!!
    Abraços

  4. Ana Maria disse:

    Os artigos publicados neste blog são de tamanha grandeza em seus ensinamentos que muitas vezes me custa muito colocar em palavras o meu reconhecimento.
    Reafirmo meu depoimento feito na primeira parte deste artigo: conhecimento, adquirido através de muito estudo e responsabilidade, é o que sempre encontro neste “cantinho” e é por isso que o visito muitas vezes. Ler e reler é aprender e apreender a cada releitura que faço.
    Mãe, as descrições das particularidades de cada Orixá são engrandecidas pelos seus esclarecimentos das nossas ações contrárias e negativas a essas influências e também em sua “nota explicativa” sobre nossas afinidades espirituais.
    Aqui está a explicação porque muitos de nós temos dúvidas sobre quem são na verdade nosso Pai e/ou Mãe Orixá.
    Deixo aqui meu agradecimento por todo esse seu empenho de levar a nossa Umbanda a seguir um caminho de fé sim, mas com conhecimento, sabedoria, muito trabalho e muito amor.

    Axééééééeééééééééé.

  5. Daniel disse:

    Sempre me surpreendo com os textos desse blog. São muitas informações corerentes. Acredito que nós temos sim influência maior dos Orixás de nossa cabeça mas acredito também que, como médiuns que somos, recebemos influências de todos os Orixás. Basta ler o artigo, em determinados momentos da vida somos ou precisamos mais desta ou daquela característica. Acho que a grande busca é ficar em equilíbrio com as ações cósmicas e universais de todas as forças, tendo humildade suficiente para reconhecer os erros e assumir o compromisso consigo mesmo de mudar.

    Como é bom ser filho de Orixá, como é bom ser filho de pemba!

    Axé a todos.

  6. Samira Maria disse:

    Independente de afinidades ao final todos somos filhos de Orixás, acredito que na nossa caminhada em determinados momentos somos conduzidos por um Orixá que necessitamos para cada situação, sempre tendo a força e a sustentação dos nossos Pais Orixás,somos abençoados por termos as oportunidades de vivenciarmos cada influência da Essência Divina. As características dos filhos de cada Orixá nos trás a reflexão, “onde estamos falhando para podermos melhorarmos como filhos e seres humanos”. Obrigada Mãe, pelo texto tão esclarecedor e que nos faz refletir. Saravá Mãe e muito Axé a todos.

  7. Alfredo disse:

    Por mais que recebemos influências de todos Orixas como exposto no texto acima , gostaria de ser filho de todos, sem exceção,é tão maravilhoso estas manifestações divinas em nossas vidas…Brincadeiras a parte, salve a Umbanda e aos sagrados Orixás

  8. Eliana disse:

    Ainda bem que recebemos influências de vários Orixás, ufa!

    Com tantas características marcantes em cada uma dessas forças manifestas, seria difícil conviver com filhos de Orixás cada qual apresentando personalidades tão definidas e muitas vezes contrarias ou incompatíveis umas com as outras.
    Claro que recebemos uma influência maior de um determinado Orixá, mas essa mescla de energias e manifestações nos proporciona certa maleabilidade e aceitação para convivermos uns com os outros, tolerando nossas diferenças e aprendendo nessas inúmeras situações de convívio.
    Foi bastante positivo enxergar por esse prisma apresentado no texto.

    Axé!

  9. Helena disse:

    Axé a Todos,

    É super importante nos atentarmos para as nossas características tanto no positivo quanto no negativo, é a chave para o cofre do nosso íntimo…
    Também agradeço por receber as influências de Todos os Sagrados Orixás…

    Abraços

  10. melissa disse:

    Olá!! Mãe Mônica!!! Nossa eu adorei saber sobre as características de cada orixá e como eles nos influenciam nas nossas características.
    obrigada
    melissa
    axé!! a todos

  11. Marisol disse:

    Ufaa!!!! realmente sou filha do orisa oyá!!! Essa aí é mãe de nove!!!! Oyá minha rainha, minha mãe e minha luz e guia…Adorei !!! Realmente temos influencia de outros orisa, mas eu sóu de oyá aki e em outro mundo.rs

  12. João Carlos disse:

    Axé Mãe Mônica, é maravilhoso poder estar comungando desta religião, tão rica e tão presente em nossa vida, a nossa volta. Como precisamos de todas essa vibrações e influencias para podermos viver em equilíbrio, sinto-me filho de todos os Orixás, as vezes vivendo mais a influência de um, ora de outro, tudo dentro de minhas necessidades e merecimentos. É muita benção, obrigado ao Pai Ogum que me fez percorrer tantos caminhos até poder ter encontrado a Umbanda, minha verdade.
    Axé
    João Carlos

  13. Guilherme Barbosa disse:

    Quanto conhecimento, quanta oportunidade de aprendermos e evoirmos, quanto AXÉ!!!

    Muito bom saber os Orixás que nos regem mas com certeza é melhor ainda saber que absotulamente TODOS os Orixás estão conosco, podemos absorver essa energia a qualquer hora e qualquer momento. MUITO BOM SER FILHO DE ORIXÁ!

    Abraços fraternos!

  14. MUITO LINDA A MANEIRA COMO FALAS DOS ORIXÁS, ESSAS FORÇAS DIVINAS AS QUAIS ESTÃO SEMPRE A NOS PROTEGER. SAUDAÇÃO MÃE MÔNICA, MUITA FORÇA À SENHORA. ESPERO CONHECE-LA PESSOALMENTE POIS PRETENDO PROGRAMAR FÉRIAS E IR ATÉ AÍ. O MEU FRATERNO ABRAÇO

  15. Lucas disse:

    Muito interessante este artigo, cheio de conhecimento muito aproveitável, não só para nós que estamos no curso, mas também para as pessoas que fazem parte da nossa maravilhosa Umbanda.

    Muito bom mesmo.

  16. solange disse:

    Nossa! Bem bacana conhecer as características de cada Orixá e podermos identificar que possuímos em nosso íntimo e na nossa personalidade um pouco das características de cada um Deles.
    Muito legal também saber que estamos sempre sendo amparados tanto pelos nossos pais e mães como também pelos nossos padrinhos e madrinhas em vários momentos de nossa vida.

    Para finalizar, concordo que devemos estar atentos e trabalhar para melhorar quando percebermos nossos desequilíbrios emocionais afinal, somos responsáveis pelos nossos sentimentos, pensamentos e atitudes.

  17. Bárbara disse:

    Seu site é muito bom , mas não me passa confiança em acreditar em seus dados uma vez que para fazer um site desses tem que ter muito conhecimento no assunto e não saber se quer escrever os nomes corretos dos Orixás. Exemplo: Inhaçã não se escreve assim e sim desse modo: Iansã.
    Espero ter ajudado a melhorar esse site.

  18. Axé, Bárbara!

    Nem de longe peço que confie em meus dados, mesmo porque o blog não tem a função de passar DADOS e sim informações para estimular o estudo e a busca pelo conhecimento.

    Aliás, acredito que somente com Conhecimento chegaremos ao fim do pré conceito e do julgamento. Acredito também que o ‘Conhecimento Real’ não é e nem deve ser limitado, concentrado e focado em um único tema, acredito que a “hiper especialização” limita o Ser levando-o para dentro de um buraco solitário e frio. Acredito ser necessário um Conhecimento AMPLO sobre qualquer que seja o assunto para que se possa tecer comentários.

    No caso da Umbanda por exemplo, é importante estudar as outras religiões, as outras vertentes dentro da religião Umbanda, os seus decanos, seus regionalismos, suas tradições, seu passado, seu presente, enfim, é necessário estudar um TODO e não um ponto ou uma palavra.

    Sobre seu questionamento, informo que a palavra “Inhaça” era usada na Umbanda mais tradicionalista, na Umbanda de Zélio Fernandino de Moraes para ser mais específica, e esse nome continua sendo usado por muitos Sacerdotes da Umbanda, inclusive por Pai Ronaldo de Linares, um importante decano de nossa Umbanda que há anos ensina sobre a religião e já formou mais de 25 turmas de Sacerdotes de Umbanda (observe no blog as devidas referências que coloquei na matéria em questão).

    Posso exemplificar também os nomes EUXOCE (para Oxóssi), SHANGÔ (para Xangô) e mesmo NHAN-SAN (para Iansã) usados por Leal de Souza, grande escritor e dirigente da Umbanda escolhido pelo próprio Caboclo das Sete Encruzilhadas para fundar a Tenda Nossa Senhora da Conceição em 1918, além disso esses nomes foram oficializados no 1º CONGRESSO BRASILEIRO DO ESPIRITISMO DE UMBANDA em 1941. No entanto, esses nomes são pouco usados pela Umbanda mais contemporânea, além de serem, infelizmente, pouco conhecidos pelos próprios umbandistas.

    Não sou dona da verdade absoluta e muito menos dona da Umbanda para determinar o “CERTO”, contudo estudo muito e há alguns anos a Umbanda e outras religiões e tento, dentro do meu bom senso, repassar algumas informações com o intuito de estimular a busca pelo estudo.

    Espero ter alcançado meu objetivo com você e agradeço a ajuda para melhorar esse blog que fala sobre a Minha Umbanda.

  19. Daniel disse:

    Veja se pode ok?

    Tempos atrás farmácia era escrito Pharmacia. Hoje ideia não tem mais acento e pelo de bicho não leva mais circunflexo. As consoantes mudas estão em desuso e encontramos mais seção do que secção. Nem com todas essas mudanças a farmácia deixou de vender medicamentos, bichos deixaram de ter pelos e as seções de departamentos ainda existem como antes. As ideias continuam surgindo desde a antiguidade. Essas palavras não estão escritas erradas como “iscola” ou “mortandela”, simplesmente se adaptaram aos tempos.

    No novo acordo ortográfico da língua portuguesa, as letras K W e Y passam a integrar o alfabeto de maneira oficial. Então seria Yemanjá ou Iemanjá?
    Isso pra quem está interessado no conteúdo do que está escrito, pra quem estuda e lê pelo menos mais 2 ou 3 artigos desse blog não importa. A Iemanjá continua sendo a nossa Mãe, a rainha do mar. A vibração dela continua a mesma independente de usou letra “i” ou letra “y”.

    Não vi nesse blog nada se referindo a nenhum Orixá como sendo monstros, vibrações negativas ou seres trevosos. Aí sim poderia ficar na dúvida.

    Pra falar qualquer coisa é preciso antes pensar, senão falamos bobeiras. Pra comentar é preciso se fundamentar, fazer uma simples pesquisa nem que seja no Google. É preciso ler o artigo e reler os comentários que se escreve, por isso esse blog é tão bom. É preciso refletir sempre. Uma ajuda verdadeira não pode se valer de leviandade.

    Axé irmãos.

  20. Adriano de Almeida disse:

    Axé Mãe Mônica e parabéns pelo maravilhoso trabalho de atendimento de todos os médiuns da sua casa.
    Minhas perguntas são:
    - Qual a importância de sabermos quem são nossos orixás (de frente, de cabeça e ajuntó)?
    - É imprescindível para trabalhar em atendimento?
    Axé meus irmãos….

  21. Olá Adriano !

    Acredito que a importância em saber quem são nossos Orixás de frente, de cabeça e de ajuntó é que através das característica, vibrações e arquétipos dos Orixás nos enxergaremos melhor e reconheceremos em nós determinadas características semelhantes a do Orixá em questão, assim, o auto conhecimento se torna mais fácil e o caminho que, necessariamente, precisamos percorrer para melhorarmos como seres espirituais em evolução se torna mais claro e fácil.
    Sei que é muito gostoso saber os Orixás de Coroa e que algumas pessoas até consideram isso imprescindível para iniciar um trabalho de atendimento caritativo dentro da Umbanda, no entanto, isso não é verdade, digo sempre que devemos ter muito amor no coração para que consigamos ser bons instrumentos da Espiritualidade Superior, e que esse amor deve ser incondicional, humilde e sem julgamento, portanto melhor do que nos considerarmos “filhos” desse ou daquele Orixá, é nos considerarmos “filhos de TODOS os Orixás” e ter por todos Eles muito amor, carinho e devoção, pois no momento de exercemos nossos dons mediúnicos TODOS estarão regendo nossa coroa.

    Espero ter ajudado com suas duvidas.

    Muito Axé !

  22. André Luiz Unger disse:

    Olá, em primeiro lugar parabéns pelo site, muita luz pra todos.
    Como faço para saber de qual Orixá sou filho?
    Grato
    André

  23. Para mim André, a melhor forma é quando ouvimos de um Guia Espiritual que conhecemos, amamos e confiamos. E claro que quando falo em um Guia Espiritual que conheço, amo e confio estou também projetando esses atributos ao médium que intermedia essa entidade.

  24. Paulo Gazonni disse:

    Olá a Todos,

    Mônica, preciso de um esclarecimento e acredito que se faz necessário a publicação no JUCA.

    Existem filhos (coroa) de Oxalá na umbanda ? Podemos incorporar caboclos de Oxalá ?

    Tenho essa duvida, pois conheço duas casas de umbanda onde as informações são divergentes, uma diz que não e outra diz que sim.

    Gostaria de sua opinião (conhecimento), para esclarecer essa duvida !

    Muito Obrigado,

    Axé a todos.

  25. Axé Paulo!

    Essa confusão é normal e, infelizmente, acredito que ainda vai perdurar por algum tempo tantas informações e idéias divergentes dentro da Umbanda.
    Vou tentar colocar em poucas linhas meu ponto de vista sobre esse assunto, mas tenha certeza de que está aceita a sugestão de uma publicação mais ampla sobre o tema no JUCA.

    Veja só, podemos sim incorporar caboclos de Oxalá e temos, como exemplo disso, a presença bastante numerosa de Caboclos como Pena Branca, Tupã, Tupinambá, Guaraci e outros em nossos terreiros. Inclusive o próprio Caboclo das Sete Encruzilhadas é um Caboclo mensageiro de Oxalá (além de Oxossi e Ogum).
    Da mesma maneira temos médiuns trazendo em suas coroas a regência do Orixá Oxalá, um bom exemplo é Pai Elcio de Oxalá, um grande homem e cantor de nossa Umbanda.

    Acredito que a divergência nesse caso acontece pelo erro de alguns dirigentes não compreenderem o que é sincretismo e ao invés de apenas sincretizar Oxalá com Jesus acreditam realmente que Oxalá É Jesus. Portanto, se seguirmos essa linha errônea de raciocínio, diremos que é impossível incorporar esse Orixá e que o médium é indigno de ter “Jesus em sua coroa”, uma vez que seria uma heresia e até impossível qualquer tipo de relacionamento humano com Jesus, que é entendido como Deus.

    Eis ai um grande tabu que precisa ser quebrado rapidamente de nossa Umbanda, não é mesmo?

    Concluo afirmando que somente com muito estudo dos médiuns e dos dirigentes umbandistas é que conseguiremos fazer da Umbanda algo mais lógico, com menos divergências e sem tabus que, infelizmente, ainda estão enraizados nas mentes de muitos dirigentes e médiuns enfraquecendo a Umbanda e impossibilitando a evolução de todos.

    Espero que você tenha compreendido.

    Muito Axé
    Mãe Mônica Caraccio

  26. Michelle disse:

    Seu axé mãe Mônica…

    Mãe eu gostaria de saber as característica dos filhos de mãe Egunita, já pesquisei, mais não encontro tenho essa curiosidade porque sinto muita afinidade com sua energia e frequentemente no terreiro de minha mãe recebo vibrações de mãe egunita e ainda não sei quem é meu Orixá de frente e desconfio que seja ela.

    Agradeço desde já sua atenção e aguardo resposta.

    Ah… e ter descoberto esse site foi a melhor coisa, pois sou nova no caminho da Umbanda, estou ah 2 meses e estou tendo uma grande evolução, já sei quem é meu Orixá de juntó, que dom de mediunidade possuo com mais força e já até cheguei a incorporar uma vez um espirito que precisava de ajuda…

    E por ser nova nesse caminho acho muito importante procurar informações por minha própria conta e depois esclarecer minhas dúvidas com minha mãe espiritual.

    E o que a senhora passa é muito semelhante com o que praticamos no terreiro de minha mãe.

    Não sei se a senhora conhece minha mãe, Mãe Fernanda de Oyá ela é afilhada de Pai Elcio de Oxalá.

    Muito obrigada pelos seus ensinamentos

    E novamente peço seu axé.

  27. Axé Michele!
    Saber sobre essa Orixá é difícil mesmo, afinal são poucos os Terreiros que cultuam Egunita, mas vamos lá:

    No positivo são ativas, emotivas, impulsivas, reparadoras, faladoras e geniosas. No negativo são egoístas, briguentas, intrigantes, vingativas, insensíveis e teimosas. Apreciam conversas reservadas, espetáculos emotivos, reuniões de estudo e orações, a companhia de pessoas passivas e de homens que se incandesçam. Gostam de passear, de se vestir bem e com roupas coloridas ou de cor forte. Não apreciam homens presunçosos, arrivistas e preguiçosos, assim como não gostam de festas monótonas, conversas tolas, comidas sonsas e bebidas adocicadas.

    Espero ter ajudado!

    Muito Axé
    Mãe Mônica Caraccio

  28. Axé mãe Mônica , gostaria muito q a senhora falace da importância do ogan na umbanda. Espero ansioso a matéria. Até breve!

  29. Axé Wanderson!

    Esse é um assunto muito interessante mesmo e também muito pedido. Vamos preparar uma matéria exclusiva sobre o assunto para colocar aqui no blog, mas por enquanto você pode ler um artigo muito legal que saiu no Jornal de Umbanda Carismática – JUCA – sobre o assunto. O link para ter acesso a essa matéria é http://www.umbandacarismatica.org.br/2010/04/artigo-do-mes-abril/

    Muito Axé
    Mãe Mônica Caraccio

  30. Lana Brito disse:

    Olá!
    Fiquei gratamente surpresa ao me deparar com este site em minhas pesquisas pela internet. Estou começando agora o estudo da Umbanda e as informações aqui compartilhadas são deveras esclarecedoras!!!
    A questão dos Orixás e seus filhos sempre foi-me muito interessante, e adorei encontrar estas descrições tão bem feitas.
    Obrigada por compartilhar seu conhecimento conosco Mãe Mônica.
    Fraterno abraço e muito axé!

  31. Kelly de Oyá disse:

    Boa tarde Mãe Mônica,

    Amei seu site, é de uma delicadeza e de uma generosidade ímpar, parabéns. Sou filha de Oyá com Xangô e fico sempre espantada todas as vezes que leio artigos a respeito deles, porque sou muito parecida com os dois, em uma fusão tanto nos aspectos positivos quanto nos negativos. E acho ótimo, porque ele me equilibra muito, já que as filhas de Oyá são tão tempestivas rssss… dependendo da situação, acabo vestindo a toga do Juíz Xangô ou arraso com os ventos de Yansã, mas tento ponderar e acho que a maturidade tem me ensinado a ser mais equilibrada, porque quando vejo, já fui sincera demais pro meu tamanho rsss.

    Saravá irmã, que Yansã e Xangô encham sua vida de brilho e amor!

    Kelly

  32. sueli disse:

    mãe mõnica ,nao frequento umbanda mas sei muito sobre ela pesquiso bastante, gosto muito, tenho sonhos de trabalhos na umbanda e nunca frequentei ja vi sim duas vezes fui ao centro com uma amiga mas foi agora os meus sonhos sao antigos ,eu amo a tempestade e´o dia mais lindo para mim os trovoes furacao tornados, lendo essa pagina me identifiquei com xango e iansa e um pouco com oxala, tive muitos sonhos estranhos com umbanda como se eu fosse mediun sera possivel que eu fui da umbanda em outra encarnaçao?antes de saber sobre os orixas como hoje eu via falar de xango e eu adorava ele tanto que se eu pudesse eu encorporaria ele ja ouvi os pontos no youtub e adorei canto sem parar mesmo quando eu nao quero ,quando percebo estou cantando o ponto de xango agodo mae se a senhora puder me responder alguma coisa serei muito grata.

  33. PAULO D'OGUM disse:

    EU ACHEI MUITO INTERESSANTE ESSE ARTIGO PORQUE ME DESCREVE TODO NAS CARACTERÍSTICAS DE IANSÃ E DE OGUM

    EPARREI IANSÃ

    OGUMNHE

  34. Giovana Santos disse:

    Olá, maravilhoso é tudo que tenho a dizer, sobre esta religião maravilhosa que eu sou devota,amo e respeito todos que a amam como eu, e fico muito feliz quando encontro textos assim tão claros e interesantes…

  35. Thayse Costa disse:

    Boa tarde Mônica!

    Eu tenho 14 anos, há três anos eu frequento um centro espírita umbandista e faço parte da corrente. Como moro na Paraíba e há diferença entre as regiões do Brasil eu queria entender melhor. Eu sou filha da Oxum que em relação ao sincretismo católico é Nossa Senhora do Carmo, já em outros sites que pesquiso eles mostram a Oxum como Nossa Senhora da Conceição, que aqui nós usamos como Iemanjá.
    Então eu queria poder entender melhor não procurando sabe qual o certo e o errado, mas porque quero entender melhor. Tenho vergonha de perguntar minhas dúvidas a minha mãe espiritual, apesar de que a cada reunião ela nos ensina um pouco do que sabe.

    bjos.

    Espero atentamente a sua resposta.

  36. Axé Thayse!

    Você não precisa ter vergonha de fazer perguntas à sua Mãe Espiritual. Tenho certeza de que ela ficaria feliz por poder sanar suas duvidas.

    Veja bem, o sincretismo religioso acontece porque na época da escravidão os negros eram impedidos de cultuarem seus orixás e obrigados a aceitarem a religião dos brancos. Sendo assim, eles se viram obrigados a dar um jeitinho representando os orixás com imagens de santos católicos para fingir aos senhores de escravos que estavam rezando aos santos, quando na verdade estavam cultuando seus orixás .

    Para fazerem essa relação eles utilizavam santos que tinham uma história ou características parecidas com as dos orixás. Por exemplo, os negros sabiam que Ogum é um Orixá guerreiro, forte, determinado, que venceu muitas guerras, então procuravam um santo que tinha essas mesmas características para representar Ogum. E o mesmo acontece com todos os Orixás.

    Por causa da distância e da falta de comunicação é natural que aqui em São Paulo o sincretismo dos orixás tenha sido feito com santos diferentes dos escolhidos na Bahia, por exemplo. Sendo assim, o sincretismo de Oxum em São Paulo é feito com Nossa Senhora Aparecida, no Rio de Janeiro com Nossa Senhora da Conceição, na Bahia com Nossa Senhora das Candeias e aí na Paraíba com Nossa Senhora do Carmo.

    Isso é natural e para nós o que interessa mesmo é o que nos traz a orixá Oxum, não importando que santa é utilizada para representá-la, não é verdade?

    Leia o artigo sobre sincretismo publicado aqui em nosso blog, acho que irá te ajudar: http://www.minhaumbanda.com.br/2009/11/06/942/

    Muito Axé
    Mãe Mônica Caraccio

  37. Babá Alan de oxossi disse:

    Parabéns ao site por colocar conteúdos verdadeiros sobre os orixás!

  38. rosania disse:

    adorei saber como e um filho de xango.

  39. elizangela disse:

    gostei muito mais venho procurando uma casa onde se realiza verdadeiramente a caridade pois preciso realizar a caridade…..bjus

  40. neide disse:

    ola obrigado tirei algumas duvidas eu sou espirita e sou filha de ogum com yança estou em evoluçao espiritual

  41. Gabriella Maria Rufino disse:

    Gente, tenho11 anos e já sou espirita! Sou filha de IEMANJA, minha mãe que me guia por toda vida.
    Odoia mamãe.

  42. Amanda disse:

    Eu nem me interessava pela Umbanda e os orixás, mas o conteúdo deste site fez com que eu me conhecesse mto mais, mto interessante a religião!! Adorei!!!

  43. carla disse:

    SOU CATÓLICA NÃO PROTESTANTE. QUANDO CRIANÇA MINHA MÃE DIZIA QUE EU ERA FILHA DE COSME E DAMIÃO. NUNCA DEI MUITA ATENÇÃO A ISSO. EM CERTOS MOMENTOS DA MINHA VIDA NÃO ACREDITAVA EM DEUS, JESUS, SANTOS….
    QUANDO MINHA MAE FEZ A SIMPATIA, NAO DISSERAM A ELA QUE DEVERIA OFERECER DOCES AOS GÊMEOS POR TODA A VIDA. NASCI MUITO MAGRA E ESTAVA SEMPRE DOENTE. ATÉ ENCONTRAR UMA BENZEDEIRA QUE AO ME VER ( JÁ ESTAVA COM 6 ANOS) ELA DISSE QUE EU ERA FILHA DE COSME E DAMIÃO, E QUE MINHA MÃE ESTAVA EM DÍVIDA COM ELES. FOI ONDE DESCOBRIU-SE QUE ENSINARAM A SIMPATIA DE UMA FORMA ERRADA. MINHA MAE VOLTOU A OFERECER OS DOCES AOS GEMEOS.
    NUNCA ME IMPORTEI EM SABER DA VIDA DE COSME E DAMIÃO. AOS 18 ANOS DESCOBRI MINHA PAIXÃO PELA ÁSIA. MEU MAIOR SONHO SEMPRE FOI FAZER FACULDADE DE FARMÁCIA E UM DIA PEDI A JESUS QUE ME PROVASSE POR A+B QUE ELE EXISTIA E QUE EU ERA FILHA DE COSME E DAMIÃO.
    QUANDO ESTAVA PRESTES A TERMINAR A FACULDADE DE FARMÁCIA, MINHA VIDA VIROU DE PERNAS PARA O AR. EU SEM SABER O QUE FAZER PEDI AJUDA A COSME E DAMIÃO QUE ME DESSE UMA LUZ E QUE SE EU CONSEGUISSE TERMINAR A FACULDADE IRIA AJUDAR PESSOAS CARENTES, CRIANÇAS COM O MEDICAMENTO MAIS CARO QUE EU PUDESSE OFERECER DENTRO DAS MINHAS CONDIÇÕES FINANCEIRAS.
    QUANDO ESTAVA NO ULTIMO ANO FUI PESQUISAR A VIDA DOS GEMEOS, E PARA MINHA SURPRESA ELES SÃO OS PROTETORES DOS MÉDICOS E FARMACÊUTICOS E DOAVAM MEDICAMENTOS AS PESSOAS CARENTES. AO LER AQUILO EU NAO ACREDITEI. ELES VIVIAM NA ÁSIA. EU AMO A ÁSIA, SOU FARMACÊUTICA E A MINHA PROMESSA ERA A MISSÃO DE MEUS PAIS (OS GEMEOS).
    MESMO ASSIM DUVIDEI, FOI QDO UM DIA PASSANDO DE CARRO EM UMA DAS AVENIDAS DO TUCURUVI, ME DEPAREI COM UM GAROTO (VENDENDO BALAS NO FAROL) QUE ME CHAMOU A ATENÇÃO. NA PRIMEIRA VEZ EU NAO PAREI, MAS NA SEGUNDA VEZ FOI IMPOSSIVEL NAO PARAR. ELE ME ATRAIA DE UMA MANEIRA INCONTROLÁVEL. NESTE DIA EU PAREI, COMPREI UM LANCHE DO MC DONALDS E LEVEI ATE O FAROL ONDE ESTAVA. ENTREGUEI O LANCHE A ELE E O MESMO NAO SABIA COMO AGRADECER. ELE É DEFICIENTE FÍSICO NAO TEM UM BRAÇO E FEZ UMA CIRURGIA NA CABEÇA. ELE PERGUNTOU O MEU NOME E EU DISSE CARLA E PERGUNTEI O DELE “E ELE DISSE COSME, TENHO UM IRMÃO GÊMEO DAMIÃO”….OS MEUS PÉS NAO SENTIAM O CHAO, EU FIQUEI TOTALMENTE DESNORTEADA.
    QUANDO CHEGUEI EM CASA FUI PESQUISAR A FUNDO A VIDA DE MEUS PAIS, POIS NAO ERA POSSIVEL TUDO QUE ESTAVA ACONTECENDO. DESCOBRI QUE ELES NASCERAM NA ARABIA SAUDITA SÃO FILHOS DE CRISTÃOS ESTUDARAM MEDICINA NA SÍRIA E FOI LÁ QUE ELES AJUDAVAM AS PESSOAS CARENTES.
    HOJE ESTOU COM 34 ANOS E POSSO DIZER QUE SOU A MULHER MAIS FELIZ DO MUNDO, POR TER SIDO ESCOLHIDA POR COSME E DAMIÃO PARA DAR CONTINUIDADE A MISSÃO QUE UM DIA MEUS PAIS COMEÇARAM. SOU FARMACEUTICA APAIXONADA PELA ÁSIA, MEU NAMORADO É FILHO DE JAPONES COM LIBANES. O LÍBANO É VIZINHO DA SÍRIA, E O ANJO DA GUARDA DO MEU NAMORADO SÃO COSME E DAMIÃO.
    PAI EU AMO MUITO VCS.

  44. Geovania disse:

    Que linda história de vida, os pais sempre nos mostram a verdade, seja pelo amor ou pela dor, mas de alguma forma eles nos mostram o caminho …Sou filha de Yemanja com Ogum e a cada dia tenho mais amor e respeitos pelos meus pais, mas adoro todos os orixás, pois todos fazem parte da natureza e se prestarmos atenção a cada instante de nossa vida a natureza nos mostra o caminho a seguir…basta prestar a atenção e seguir em frente. Muito Axé a todos

  45. cleomir disse:

    eu sou filho de oxum

  46. jose ribeiro disse:

    ola!vivo em portugal e sou filho de xango,amo todos os orixas.lindas as historias de vida que passam por aqui.so tenho pena que aqui os cultos aos orixas sejam tao poucos,pois tudo que envolve esses sagrados seres da natureza,deveriam ser mais divulgados,para dar a conhecer as pessoas,que ha muito mais para la desta vida.muito axe para todos.

  47. Lianna disse:

    Adorei as caracteristicas…..realmente sou mesmo uma filha de iansã…..mamãe qu adoro d+++++…como smpre mamãe abala…..é parré oyá…..realmente sou uma pessoa muito abençoada….também filha de oxalá…..parabéns peço o seu blog.ah e adorei também a nota explicativa que voce colocou no final,é muito importante e pe verdade pois sou mais “apegada” a obaluae……bjus e sucesso

  48. maiara disse:

    É verdade eu sou filha de oxum,mas pareço ter mas caracteristicas com os outros orixas também,é axo que todos nos temos um pouquinho de cada um para nos completar…….

  49. cristiano disse:

    ola cada depoimeto que eu li aqui tem fundamento , eu frenquento centro de umbanda desde criança hoje tenho 26 anos , estou desenvolvendo pra religião sou filho de xango com nanã de baruque sou muito feliz com a religião fazer a caridade e bom me deixa mais leve com o coração limpo de maldade , falo pra todos um bom axê que nosso pai oxala nos enlumine nossos passos por toda vida amen

  50. EDNA LARANJEIRAS disse:

    Adorei esse site e se possível estarei sempre por perto lendo

  51. Victor disse:

    Incrivel! Sou filho de Oxalá e me descreveu exatamente.

  52. Juliana disse:

    Já me disseram em um jogo que sou filha de Oxalá. Vim ler a descrição, nossa… sou eu to-di-nha.

  53. Thiago disse:

    sou filho do grande Oxossi e vim ler a descrição e me identifiquei totalmente !!!!

  54. Dannie disse:

    Superinteressante esse texto, desmistificando algumas características de certos orixás… Por exemplo, os filhos de meu pai Obaluaê são sempre vistos como ranzinza, mal-humorados, nunca com qualidades, só defeitos. E esse texto mostrou que filhos de Obaluaê têm sim, qualidades, podem também ter seus momentos de alegria! Também me identifiquei com a descrição dos filhos de Oxum, pois apesar de entidades me dizerem que eu sou dela, eu não me identificava com outras descrições estereotipadas. Me identifiquei demais com as descrição dos meus pais de cabeça.
    Parabéns pelo rico trabalho!!

*