20

Sincretismo na Umbanda

Devido à uma série de acontecimentos históricos, à opressão sofrida pelos negros na época da escravidão e à imposição da religião católica dos fazendeiros sobre seus escravos, hoje o sincretismo dos nossos Orixás com os Santos do Catolicismo é muito presente na Umbanda. Muitas vezes este sincretismo e a presença de imagens católicas em nossos terreiros torna-se muito importante para aquele consulente que não conhece muito sobre a Umbanda e vai para um terreiro cheio de medo e desconfiança, mas quando chega lá se sente confortável pois encontra algo que reconhece como sagrado. Sendo assim, seja pela importância para os trabalhos ou pelo fato histórico em si, cabe a nós conhecer e entender o sincretismo na Umbanda. Vamos lá ?

OXALÁ – Jesus Cristo, Nosso Senhor do Bonfim. O grande Pai da Umbanda. Senhor da compaixão, do perdão, da sapiência e da fé. Saudação: Oxalá yê, meu pai! ou Exê Babá! – significa: O Sr. Realiza! Obrigada Pai!
XANGÔ – São Jerônimo, São Pedro, São João. São Jerônimo foi quem traduziu alguns livros da Bíblia do hebraico e do grego para o latim e São João pregava a conversão religiosa e batizou Jesus. Xangô é o deus do trovão e da justiça. Saudação: Caô Cabecilê, meu Pai! – significa: Permita-me vê-lo, Majestade!
OGUM – São Sebastião (BA), São Jorge (RJ). Orixá do ferro, fogo e tecnologia. Ogum é o orixá guerreiro capaz de abrir caminhos na vida e quebrar nossas demandas. Saudação: Ogum Yê, meu Pai! – significa: Salve o Sr. Da Guerra!
OXOSSI – São Sebastião (RJ), São Jorge (BA). Orixá da caça e da fartura. Senhor das matas, da verdade e do conhecimento. O grande caçador de almas perdidas, grande curador e grande doutrinador. Saudação: Oke Arô, meu Pai! – significa: Dê seu brado, Majestade!
OBALUAYÊ – São Lázaro, São Francisco (BA). Senhor da cura, da evolução e da passagem. Saudação: Atotô, meu Pai! – significa: Peço quietude, meu Pai!
OMULU – São Roque, São Lázaro, São Bento. Senhor do fim, Senhor da paralização. Saudação: Atotô, meu Pai! – significa: Peço quietude, meu Pai!
OXUMARÉ – São Bartolomeu. Orixá da chuva e do arco-íris, o Dono das Cobras. Dilui e renova os sentimentos doentios e viciados. Saudação: Arroboboi, meu Pai! – significa: Senhor da Águas Supremas!
IBEJI - São Cosme e São Damião. Pureza, leveza, alegria e doçura. Saudação: Salve a Ibejada!
YANSÃ – Santa Bárbara. Orixá guerreira, deusa dos raios, dos ventos e das tempestades. Liberdade, movimento e paixão pela vida essa grande orixá nos traz. Saudação: Eparrei, Yansã! – significa: Salve o raio, Yansã!
OXUM – Nossa Senhora da Conceição (RJ), Nossa Senhora das Candeias (BA). Orixá do amor puro e verdadeiro, orixá da alegria e da união. Senhora da águas doces e das cachoeiras. Saudação: Ora Yê iê, ô! – significa: Olha por nós, Mãezinha!
IEMANJÁ – Nossa Senhora da Glória, Nossa Senhora dos Navegantes. É a deusa dos grandes rios, mares e oceanos. A grande mãe da Umbanda e dos Orixás. Representa vida e geração em todos os sentidos. Saudação: Odoyá Yemanjá! Adoci-yaba! – significa: Salve a Senhora da Água!
NANÃ – Sant’Ana. Senhora das águas paradas, do barro e da Sabedoria. Saudação: Saluba, Nanã! – significa: Salve a Sra. das águas Pantaneiras!
EGUNITA – Santa Sara de Kali. Senhora do Fogo vivo e divino. Sua maior qualidade é a purificação. Saudação: Kali Yê, minha Mãe! – significa: Salve a Senhora negra, minha Mãe!
OBÁ – Santa Catarina, Santa Madalena. Obá é a orixá que aquieta o racional dos seres e esgota o conhecimento desvirtuado. Saudação: Akirô Oba Yê! – significa: Eu saúdo o seu conhecimento, Senhora da Terra!
OYÁ – Joana D’arc. Orixá do Tempo, passado presente e futuro (tempo cronológico) e sua maior ação é no sentido religioso, onde ela atua como ordenadora do caos religioso. Saudação: Olha o Tempo, minha mãe!
EXU -Santo Antônio, São Bartolomeu. Faz a guerra para trazer a paz. Atua sobre a dualidade do homem. Orixá guardião dos templos, encruzilhadas, passagens, casas, cidades e das pessoas, mensageiro divino dos oráculos. Saudação: Laroyê Exu, Exu é Mojubá! – significa: Olhe por mim Exu, eu me curvo a ti. Exu é poder de Orixá!

Muito Axé a todos e um ótimo final de semana!

  1. Helena disse:

    Axé a Todos!!

    Eu adoro quando leio sobre textos do sincretismo religioso na Umbanda, primeiro porque consigo sentir a diferença entre os Santos Católicos que são espíritos iluminados e a força Orixá, que é energia pura, divina e sagrada, irradiação do criador Olorum…e em segundo lugar porque também acredito que esse sincretirmo é muito importante para os espíritos que ainda não se sentem seguros para reconhecer a força Orixá quando começam a frequentar um terreiro de Umbanda…

    Mas nesse texto em especial o que mais me chamou a atenção foi o significado das saudaçoes, nossa, imagine que força têm as palavras: “Olhe por Exu, eu me curvo a ti. Exu é poder de Orixá!”.

    É realmente uma religião belíssima!

    Abraços

  2. Ana Maria disse:

    Peço licença a irmã Helena para endossar suas palavras. Que maravilhosa é a minha religião que acolhe, sem preconceitos, todos os espíritos de luz, que um dia humanizados, foram católicos, protestantes, budistas. Enfim, para a Umbanda não importa o credo a que pertenceu esse espírito e sim “a que ele veio”.

    Também gostaria de fazer menção aos “negros africanos” que trazidos como escravos, se viram obrigados a procurar por santos católicos para fugirem da opressão de seus “donos”. E sem ao menos saber ler e escrever ou mesmo não entendendo nada do nosso idioma e desconhecendo por completo a religião católica, conseguiram escolher “a dedo” os santos para o sincretismo. Por que será? Ou, como conseguiram achar essa sintonia entre Orixá (energia) e santo (espírito) na mesma linha de atuação?

    Então eu fico com o significado das saudações a Oxalá e Oxum.

    - O Sr. Realiza. Obrigada Pai.
    - Olha por nós Mãezinha.

    Oxalá realizou e Oxum olhou por todos.

    Axé.

  3. Kota Mulanji disse:

    Só para contribuir! A tradição africana é 4000 anos mais antiga que a cristã. Desculpe os mais velhos e os mais novos que explicam o que veio antes com o que chegou depois. Os santos cristãos foram seres humanos que tiveram escravos, concordaram com a opressão do outro pelo ganho do poder, diferente de uma energia que estabelece a justiça através da troca e da preservação. Meus agradecimentos aos nossos ancestrais pela estratégia naquele momento, meus respeito a qualquer ação embasada na tradição, meu repúdio à manutenção do poder cristão sobre uma tradição milenar.

  4. JOÃO CARLOS disse:

    Axé Mãe Mônica, para manter suas tradições os povos africanos que aqui forma trazidos a força, arrancados de seus lares, cidades, culturas, foram obrigados a recorrerem a santos católicos para poderem preservar a liberdade espiritual já que todas as outras lhes foram negadas, mostra o quanto as pessoas quando querem superam as adversidades e continuam sua caminhada em busca de suas verdades e convicções. Ao sentir a irradiação de um Preto Velho, sentimos não como uma pessoa que viveu seu calvário nas senzalas, até foram a isso submetidos mas, conseguiram superar sua raiva , seu ódio pelas pessoas e, olha, teriam motivos de sobra para isso, mas não, acreditaram em uma força maior, que não era ela que os humilhavam e os matavam, não culparam a Espiritualidade por estarem nesta condição como nós as vezes quando no egoismo e cegueira culpamos por nossas falhas e pouca Fé, e hoje quando veem nos terreiros darem seus passes, fazerem suas milongas, nós fazem sentir o quanto nossos problemas são menores e quanto precisamos melhorar para poder ao menos olhar no espelho e ver algo melhor.
    Se antes eu precisava de imagens para acreditar e sentir Fé, hoje graças às forças da Umbanda vejo que basta estar em verdade comigo e com o que pratico, hoje não tenho medo do mal que possam me fazer, mas do mal que eu possa fazer. Salve os Pretos Velhos e todas as forças da Umbanda, e que honra sinto hoje por ter essas forças a guiar minha caminhada.
    Adorei As Almas
    João Carlos

  5. Julliana disse:

    É verdade que nossos Orixás são pura energia e irradiação Divina, totalmente diferentes dos santos cristãos que foram espíritos encarnados que cometeram proezas e também barbaridades. Porém, não podemos negar que o sincretismo entre os Orixás e os santos católicos foi extremante bem feito e, além disso, quem trabalha com assistência sabe que as imagens católicas causam um efeito altamente poderoso e importantíssimo no psicológico de grande parte dos consulentes.
    É obvio que para nós, médiuns, essas imagens não causam tal efeito mas se elas trazem benefícios para alguém, por que não usá-las? Afinal de contas Umbanda não é isso mesmo, receber a todos sem distinção?
    Na minha humilde opinião, não acredito que ao utilizar imagens católicas em nossos terreiros estejamos ferindo qualquer tradição africana, também porque a Umbanda é uma religião brasileira que recebeu influências africanas, cristãs, kardecistas, indígenas, entre muitas outras. E se no lugar das imagens de santos eu resolver colocar no meu altar imagens dos deuses indígenas consagradas na força de cada Orixá? Quem vai me dizer que Caupé, a deusa da Beleza, não pode representar Oxum, ou que Pôlo, o deus dos ventos, não pode representar Yansã, ou ainda que Caramuru, o deus dragão que pode ser tanto bom quanto cruel dependendo exclusivamente do íntimo daquele que a ele pede, não pode representar Exu?
    O que importa é o que vai no nosso coração, no nosso íntimo e na nossa mente. O que importa é que sabemos que Ogum é Ogum e que Sua força, energia e atuação em nossas vidas é a mesma, independente do fato de estar sendo representado por uma imagem, uma pedra, uma flor, um objeto, ou até por nada.

  6. Evilásio Luz disse:

    Ainda estou aprendendo sobre a UMBANDA, mas concordo em tudo que disse a JULLIANA. Nós, espíritos encarnados, precisamos de referências para comparações e compreensões de como as coisas funcionam e só com o decorrer do tempo e do aprendizado é que conseguiremos separar o joio do trigo.

  7. Andrea Vieira disse:

    Quando entrei na Umbanda o sincretismo ajudou muito a me ligar aos Orixás, afinal viemos de uma tradição católica e falar de Orixá era tudo muito novo para entender. Claro que hoje em dia fica difícil imaginar Yansã, por exemplo, como Santa Barbara. Teria que fazer esforço para imaginar isso! Sentir então… é muito diferente sentir a incorporação dos Orixás que a dos Guias, por exemplo, é a diferença da força e do poder.
    Axé
    Andrea Vieira

  8. Reginaldo disse:

    Além do texto muito simples e didático postado pela Mãe Mônica, gostaria de parabenizar a Julliana pelo alcance, profundidade e clareza de seus comentários. Concordo plenamente com ela, pois o que realmente importa é o reconhecimento da energia e sensação de cada uma das irradiações dos Orixás, e se para isso alguns necessitam de estímulos, sejam eles por imagens, símbolos ou elementos, tá valendo!

    Aproveito para esclarecer e dar a importância devida aos símbolos e elementos sagrados de nossa Umbanda, que além de servirem para estimular a crença aos Orixás, como mencionado acima, possuem também energias específicas e poderes magisticos de suma importância para nossa religião e seus rituais.

    Portanto, vale a pena conhecê-los um pouco mais e sugiro alguns dos cursos que são dados pela Mãe Mônica, com de Pedras e Ervas e também um novo de Símbolos Sagrados. Vejam a programação no site e aproveitem esta oportunidade, que garanto valer a pena!

    Axé …

  9. Daniel disse:

    Amor, Sabedoria e Humildade. Quem se propõe a trabalhar com a espiritualidade, independente do nome da religião deve ter esses atributos de forma equilibrada.
    AMOR para poder entender a realidade em que vivemos, não só a espiritual mas como também a econômica e social.

    HUMILDADE para reconhecer que nenhum conhecimento é absoluto. Humildade para buscar sempre novas fontes de aprendizado. Humildade para refletir e expandir os horizontes.

    SABEDORIA para aplicar os conhecimentos adquiridos da melhor forma possível e no momento certo, prevendo inclusive reações adversas.

    Precisamos de ferramentas simples e acessível a todos para mostrar que a energia Orixá existe e pode ser sentida em todos os momentos da nossa vida, seja numa pedra, numa árvore, na fala, nos atos, pensamentos ou mesmo num pedaço de gesso.

    O sincretismo religioso entre os Orixás e os santos católicos vai além da necessidade histórica que os escravos passaram. Trata-se de uma importante ferramenta para quebrar tabus, preconceitos, pré-conceitos e facilitar a compreensão, expansão e o entendimento sobre a nossa Umbanda.

    Agradeço sim à igreja católica por utilizar imagens de santos. Já imaginou como poderia ser difícil explicar ou sentir a energia de Ogum sem a materialização visual de uma imagem de São Jorge ou São Sebastião?

    Nem todos têm ou tiveram as mesmas oportunidades na vida e isso é fato.
    Feliz é aquele que consegue conviver com as diferenças e extrair o melhor de cada situação, sem julgamento, sem repúdio, sem preconceitos, sem discriminação.

    Mais amor, mais empatia e menos ego e julgamento pra todos!

    Axé Irmãos.

  10. Samira Maria disse:

    Esta ligação estratégica entre os Santos Católicos e os Orixás feita pelos escravos, demonstra o tamanho da sua fé, da sua crença e devoção. O sofrimento que vivenciaram não foi empecilho de exercerem a religiosidade, muito pelo contrário foram abnegados, desfrutaram da catequese submetidos pelos jesuítas para adequarem cada Santo ao Orixá correspondente, inclusive relacionando o elemento da força de um com a história do outro (Foi por acaso? Não.). Os homens conseguiram oprimir seus rituais mas não sua forma de direcionar, louvar e reverenciar cada essência simbolizada nos Otás, guardados em segredo na terra, nas imagens e etc…Foram fortes, fiéis e corajosos, lutaram sutilmente pelo que acreditavam e graças a esta vitória a Umbanda se expande a cada dia. Que tenhamos a mesma humildade dos Pretos Velhos, a coragem dos Caboclos e a esperança dos Êres, protegidos por Ogum, abençoados por Oxalá e unidos por Oxum. Axé.

  11. Guilherme Barbosa disse:

    Que bênção termos essa oportunidade de conhecer nossa Religião, saber os porquês e, principalmente, ter argumentos para discussões. De que adianta incorporarmos um caboclo cheio de conhecimento se na hora em que ele é questionado sobre o uso de imagens católicas, por exemplo, nossa opinião pré-conceituosa sobre o assunto bloqueia a informação do querido guia? Não defendo que todos os umbandistas precisem necessariamente seguir as opiniões expressas nesse texto, nesse blog ou qualquer fonte de conhecimento que seja. Defendo sim que temos que saber porque alguma coisa é feita ou deixa de ser feita dentro da nossa Umbanda para podermos ter argumentos e informações para formar e defender nossa própria opinião.

    Axé!

  12. Vinicius disse:

    É claro que a necessidade de se ter essas imagens nos terreiros de Umbanda é grande, pelo fato do sincretismo, e também para que o consulente, aquela pessoa de pouca fé, ou que só acredita vendo, se sinta mais à vontade. Porem, na minha opinião, as imagens africanas dos Orixás, propriamente dito, alem de serem muito mais bonitas, me trazem muito mais força e muito mais energia do que as imagens católicas que simplesmente estão ali para representar algo que na verdade elas não são !

  13. Valdemir disse:

    O Sincretismo dos nossos Orixás com os Santos Católicos se fez necessário numa época de opressão , e ainda continua se fazendo necessário numa época em que , pelo menos da boca pra fora , esta opressão e preconceito não se faz mais presente ( será que não ? hipocrisia nossa ?) . Bom , eu considero super válido , didático , facilitador , confortante para muitas pessoas , e , como muitos ja disseram , agregador , o que reflete bem o quanto é acolhedora a nossa Umbanda .
    Jesus Cristo com os braços ABERTOS , São Sebastião preso numa ÁRVORE com FLECHAS fincadas no corpo , Santa Bárbara com sua ESPADA na mão , São Jerônimo sentado na PEDRA com um LEÃO do lado e o JUÍZO FINAL a escrever ,Nossa Senhora dos NAVEGANTES , São Jorge e sua FORÇA GUERREIRA , São Lázaro e suas CHAGAS pelo corpo ; estes são poucos dos muitos detalhes que ativam com facilidade a memória fotográfica seja do mais novo adepto , frequentador ou daquele umbandista que teve isso como aprendizado , e com certeza auxiliam na ligação à força que está sendo ali representada .

    Pode parecer muito simples para alguns , mas muito esclarecedor para uma grande parte de pessoas . Ótima a matéria .

    Axé a todos .

  14. Luciane disse:

    Só consegui entender o sincretismo quando me interessei pelo estudo Umbandista.
    Nós umbandistas temos o privilégio de ter a ligação com a Natureza, sabemos o quanto de sagrado e valoroso é uma estrada de terra ou pedra, e até mesmo um simples vento que nos remete a ligação com o o Divino.
    Acho que podemos aprender muito com o sincretismo, não pela ligação do Santo com Orixá, mas sim com o processo que se fez necessário… a estrategia de nossos ancestrais traz um ensinamento de humildade, desapego e aceitação em prol de manter vivas tradições e vidas.
    Deveríamos seguir esse exemplo, pensando no entorno, na diferença que faz essa ligação para o próximo. É pensando de forma agregadora que mantemos nossa crença e é exercendo boa conduta que fortalecemos nossa fé, como disse a Juliana, podemos buscar longe as semelhanças, mas sem jamais perder a coerência …

    Nós batemos cabeça reverenciando nossas forças…. e não é por diferenças de imagens que passaremos a não respeitar o real sentido delas estarem ali.

    Axé a todos…

  15. Carlos Eduardo disse:

    Olá,

    Somente ao encontra-me na Umbanda Carismática, ter oportunidade de desfrutar de constantes informações do Blog, frequentar cursos que estão disposição de médiuns e interessados no rico conhecimento Umbandista; sem logicamente, o pré-conceito hesitante; posso comentar sobre o sincretismo, enfatizando a astúcia e a prova da verdadeira Fé de sofridos escravos cruelmente chacinados na época.
    Não implica em nenhuma outra comparação de absoluto afeiçoamento ao culto de origem. Acho que o sincretismo trouxe somente aos olhos dos opressores o ato sinuoso para prática da religiosidade cultuando os Orixás; que são pura energia da Natureza, e não guias em evolução que tiveram missão no plano terreno.
    As imagens trazem ligação ilusória, porém necessária para muitos que nasceram e cresceram envoltos do Catolicismo impositivo.

    Axé a todos….

  16. Christian disse:

    Querida Mãe,
    Obrigado por mais esse texto esclarecedor! As forças Orixás são realmente simples, absolutas e plenas! Em todo caso, gostaria de esclarecer uma curiosidade, se for pertinente é claro. Há algum sincretismo envolvendo São José e São Miguel ?
    Axé!

  17. Não conheço os sincretismos desses santos codificado, praticado ou conhecido dentro da religião Umbanda, no entanto nada impede de fazê-lo, é só conhecer as características e intenções desses santos e relacioná-las às características e ações de um Orixá específico, com isso criamos um sincretismo.

    Lembrando que sincretismo é fazer uma interligação de concepções religiosa e não uma substituição.

    Muito Axé

  18. SANDRA GARCIA disse:

    PARABÉNS PELA EXCELENTE EXPLICAÇÃO! CONSEGUI ENTENDER MELHOR QUEM É OXUMARÉ E QUEM É OYA E YANSÃ. QUE OXALÁ TE PROTEJA!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  19. Lais disse:

    Mãe Mônica
    Sou Espírita Kardecista, mas adoro a Umbanda.
    A Umbanda praticada com seriedade é maravilhosa. Não entendo como pessoas possam usar da mediunidade e de uma benção tão grande, para fazer coisas indevidas que prejudiquem os outros.
    Através deste site, estou começando a entender muita coisa que admirava, mas não entendia.

  20. Celso Marciano disse:

    Acho desnecessário fazer ou manter o sincretismo vivo! Eu e minha família entramos na Umbanda e nunca precisamos das referencias católicas !O sincretismo foi necessário durante a escravidão dos nossos ancestrais, hoje não se faz mais necessário ! Respeito o grau de entendimento dos diversos terreiros, mas nos umbandistas trabalhamos com energias e não imagens!!

*